Degermação

Lavagem das mãos e antebraços:

A lavagem das mãos e antebraços visa remover a flora de transitória e parte da flora permanente da pele, além de resíduos aí existentes, diminuindo, assim, o risco de infecções.
A flora transitória é composta por todos os tipos de germes, variando de um indivíduo para outro e sendo facilmente transmissíveis. Nela existem germes tanto saprófitos quanto patogênicos, inclusive os que mais causam infecções hospitalares.
A flora permanente instala-se mais profundamente, nos folículos pilosos, glândulas sebáceas, e por isso são de difícil remoção. Esta flora é composta por populações bacterianas relativamente estáveis em tamanho e composição. Sua remoção por qualquer tipo de técnica asséptica é geralmente transitória.
Durante a lavagem das mãos dois processos são fundamentais: a desinquinação e, por vezes, a lavagem complementar.

· · Desiquinação: corresponde à lavagem inicial e escovação das mãos, removendo, assim, a flora transitória e parte da flora permanente. É importante enfatizar que a escovação das mãos diminui consideravelmente o número de germes presentes na superfície da pele, mas não impede que a flora remanescente se multiplique logo a seguir
· · Antissepsia complementar: consiste em deixar as mão imersas em um recipiente contendo solução antisséptica de álcool 70% por 2 a 3 minutos, deixando secar por evaporação. Este tipo de antissepsia só é utilizada quando o sabão utilizado durante a escovação tiver um espectro de ação inferior ou não tiver efeito residual.

Técnica de escovação:

· · Antes de se iniciar a escovação deve se verificar se as unhas estão cortadas e limpas.
· · A escova utilizada deve ser estéril, com cerdas firmes e macias. A escova já vem com o antisséptico ( o mais comum é o PVPI degermante). O tempo de escovação varia entre 07 (sete) e 10 (dez) minutos, segundo H. P. Magalhães; sendo que os autores da literatura clássica divergem segundo o tempo , mas nenhum sugere uma escovação inferior a 05 (cinco) minutos.
· · Sequência da escovação: Molhada a área a escovar, ensaboa-se cada braço com a mão oposta como se fora uma simples lavagem higiênica e novamente se retira o sabão ou degermante anti-séptico, escorrendo a água do membro no sentido mãos-covelos. Este tempo é aproveitado para se limpar completa e meticulosamente as unhas sob água corrente com palito apropriado que vem junto com a escova. Inicia-se a escovação pela extremidades dos dedos e seqüencialmente pela face medial, lateral, palmar e dorsal dos dedos (sendo a última com os dedos em garra), espaços interdigitais, palma da mão, dorso da mão, face anterior e posterior do antebraço, seguindo movimentos circulares, até o cotovelo. Terminada a escovação, faz-se o enxagüe com água corrente abundante, no sentido da extremidade para os cotovelos, sempre mantendo as mãos mais altas. Permanece no lavabo com as mãos suspensas até que a água escorra por completo.
· · A secagem é feita com compressa estéril. Cada face da compressa é destinada a uma das mãos. Com a compressa aberta, inicia-se pelas extremidades até o cotovelo; dobra-se a compressa isolando a face já utilizada e com a outra face enxuga-se o outro membro da mesma forma.

. . Assepsia, Antissepsia e Antissépticos:

Conceitos:

· · Antissepsia: é o conjunto de métodos empregados para combater os microorganismos patogênicos através da destruição ou da inativação dos mesmos.
· · Assepsia: é o conjunto de medidas que evita o contato de germes com o doente, a ferida operatória, o ambiente e a equipe cirúrgica.

Principais agentes antissépticos:

Características do produto ideal:

· · amplo espectro de ação;
· · penetrar no material a ser desinfetado;
· · não sofrer ação de matéria orgânica;
· · dissolver facilmente em água;
· · agir em baixa concentração;
· · não decompor quando exposto ao calor, luz ou em condições de armazenamento;
· · ter efeito residual por longo período;
· · ter ação germicida rápida;
· · baixo custo;
· · não ter odor desagradável;
· · baixo potencial alergênico.


Agentes de superfície:

Sãos os sabões e detergentes co poder antisséptico e desinfetante. Suas moléculas possuem uma parte hidrofílica, que se liga à água, e uma parte lipofílica, que se liga às gorduras. Seu mecanismo de ação principal é a emulsificação e hidrólise das gorduras e proteínas, diminuindo ao tensão superficial dos líquidos e possibilitando um maior contato e penetração das substâncias.
Entre os agentes de superfície, podemos destacar dois grupos principais:

Sabões aniônicos: (base forte + ácido graxo fraco)
Possuem atividade especialmente contra Gram-positivas e bacilos BAAR.

Sabões catiônicos: (quaternário de amônio)
São mais eficazes que os composto aniônicos, agindo sobre as bactérias gram-positivas, gram-negativas, alguns fungos e vírus lipofílicos. Seu mecanismo acarreta na desnaturação de proteínas . 






Álcool Etílico:

É um antisséptico barato, eficaz, não irritante para a pele. A concentração é muito importante para sua eficácia, sendo a ideal entre 70 e 90%. Atua sobre as formas vegetativas de bactérias, micobactérias, herpes vírus e bacilo de Koch. Possui ação antisséptica desnaturando as proteínas, além de atuar como importante solvente lipídico, lesando as estruturas lipídicas da membrana da célula microbiana. 




Álcool isopropílico:

É mais ativo que o álcool etílico, solúvel na água, não volátil e barato. Sua atividade aumenta proporcionalmente à concentração. Tem a desvantagem de ressecar a pele com o uso contínuo. Possui o mesmo espectro de ação do álcool etílico. 


Compostos Halogenados:

Iodo – Compostos iodóforos:

O iodo é muito utilizado unido à molécula de polivinil pirrolidona, que libera o iodo lentamente evitando reações que normalmente ocorriam com este elemento isolado, como as queimaduras e a irritação cutânea; permitindo, também, o efeito residual e prolongado. É um germicida de largo espectro atuado contra esporos, anaeróbios, vírus e fungos.
O composto PVPI é encontrado sob a forma de: degermante, associado com sabão e éter; utilizado na desinquinação das mãos e braços; tópico, em solução aquosa, destinado à antissepsia das mucosas ocular, oral, intestinal, vaginal, superfícies cruentas e curativos em geral; e. por fim, tintura, associado ao álcool, utilizado na antissepsia complementar. 







Clorexidine:

É um antisséptico fenólico, praticamente atóxico e não alergênico. Tem boa atividade contra bactérias os Gram-positivos e Gram- negativos. 




Hexaclorofeno:

É um composto fenólico, com forte ação bacteriostática contra bactérias Gram-positiva e fungos patogênicos. Sua ação é limitada contra Gram-negativos e esporos. Proibido no Brasil desde 1983, pela sua alta toxicidade. 



Lavabo e Escovação



Lavagem das mãos












Secagem


Antissepsia Complementar